Renda Fixa

Comentários

O que é Renda Fixa? Se você quer viver de renda passiva ou simplesmente ficar rico é preciso entender esse conceito fundamental sobre investir seu dinheiro.


O objetivo deste texto é explicar o que é renda fixa. Você entenderá as classificações dessa classe de investimentos, os produtos financeiros e aplicações financeiras que você pode fazer em renda fixa.


Vamos começar pelo básico...

Primeiro, o que é Renda?


A Renda é a remuneração dos fatores de produção na economia clássica.  Seu salário (a remuneração pela sua força de trabalho), os aluguéis (remuneração referente à propriedade sobre a terra), os juros e lucros (remuneração do capital, o dinheiro propriamente dito).

A Renda fixa nada mais é do que a percepção de rendimentos constantes e pouco variáveis. Até mesmo o seu salário pode ser considerado renda fixa. 

E então... Para investimentos financeiros:


O que é investimento de renda fixa


Entendeu... O que é Renda Fixa?


A Renda Fixa é o tipo de investimento que possui uma remuneração ou um retorno de capital investido dimensionado (conhecido ou praticamente) no momento da aplicação. Você sabe na hora da aplicação quanto irá ter de taxa de rentabilidade ou a qual índice tal rentabilidade estará associada.

Existem diversos tipos de Rendimentos do Capital Financeiro



  • Existem a Renda Pós-fixada é definida ao final do período de aplicação; 
  • As Rendas correntes ou rendas permanentes, são rendas que provêm ordinariamente de salários, pensões, juros; 
  • As Rendas extraordinárias são rendas eventuais, que provêm, por exemplo, de heranças, doações e outras entradas excepcionais de dinheiro 

(sic wikipedia).

Mas voltemos à Renda Fixa sobre o capital ou dinheiro aplicado por um investidor


O investidor (você) sabe desde o momento da compra de determinado produto financeiro qual valor vai receber de juros ao final do prazo de aplicação financeira

É o valor nominal do dinheiro que é já prefixado no ato a aplicação ou pela variação de um índice econômico que será o pós-fixado.

Qual a principal diferença de aplicações em renda fixa para renda variável?

É bem simples. 
A remuneração ou retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da aplicação. Esta é a Renda Variável

Na renda variável não há garantia de ganho de capital. Por exemplo: abertura de um novo negócio; Investimentos em ações; fundos de renda variável (fundo de ação, multimercado e outros), os derivativos (contratos negociados nas Bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas), e Commodities (ouro, soja, moeda e outros).

Tomemos para aprendizagem a compra de ações como a Empresa Facebook. Se eu decidir comprar essas ações da por R$ 55,81. Bem, Você pode ao longo 1 ano ver o valor dessa compra aumentar, diminuir ou até permancer o mesmo, pois essa é uma aplicação de risco, de acordo com as flutuações de mercado financeiro.


O investimento em renda fixa deve ser entendido como um empréstimo. 
como investir dinheiro
Voltando à Renda Fixa...


Saiba sempre: quem é o emissor (instituição ou empresa) do título; qual é o prazo título; e qual é o tipo de rendimento do título!




EMISSOR DO TÍTULO DE RENDA FIXA


Algum cuidado se deve ter quanto ao Emissor do título, pois envolve o risco do crédito (valor da aplicação) envolvido no investimento em títulos emitidos por uma empresa, instituição financeira ou governo.
Investigue qual é o rating de crédito, em bom português: a situação econômico-financeira do emissor do papel antes de comprá-lo.
No Brasil, os títulos públicos, de emissão do governo federal, são considerados os títulos que apresentam menor risco.


Classificação de Renda Fixa




Os investimentos de renda fixa são aplicações financeiras em títulos de renda fixa, que podem ser classificados segundo dois critérios:


  • Quanto ao tipo de emissor do título, entre públicos (Governo) e privados (empresas);
  • Quanto à rentabilidade do título, em prefixados e pós-fixados.


Observe que a palavra fixo: refere-se tanto pra o prazo ou cronograma de pagamentos obrigatórios quanto ao valor total acumulado. 

Quando investimos em renda fixa estamos na verdade comprando um Título de Dívida da Instituição que o emite. O investidor empresta dinheiro ao emissor do papel (do título), que em troca lhe paga juros até a data de vencimento desse papel, quando ocorre o resgate do título. 

Sobre o prazo de aplicação - O prazo do título envolve tanto a perspectiva do risco de crédito (risco de não receber o valor aplicado ou menos), quanto a perspectiva da taxa de juro obtida pelo investidor para o prazo do investimento.


tipos de rentabilidade de renda fixa


Classificação Quanto à Rentabilidade: 


Pré-fixados: 

Rendimentos prefixados são aqueles cuja rentabilidade (nominal) o investidor conhece previamente, sendo a taxa de retorno da aplicação acertada previamente, no momento da aplicação. 

Exemplos de títulos pré-fixados mais comuns são: CDBs, Fundos de renda fixa, Títulos públicos e etcNo caso dos títulos públicos, um exemplo de rendimento prefixado é o retorno da Letra do Tesouro Nacional (LTN).



Importante notar que um investimento de renda fixa pode também ter sua rentabilidade variável. São os chamados ativos de “renda fixa pós-fixados”. 

Pós-fixadas

Nas aplicações pós-fixadas ocorre o inverso da pré-fixada, só se conhece o retorno (rentabilidade) da aplicação na data de vencimento e a rentabilidade varia de acordo com as oscilações dos índices utilizados para determiná-la.

Ainda referenciando títulos públicos, um bom exemplo é a Letra Financeira do Tesouro (LFT) ou como é mais conhecido o Tesouro Direto. O investidor, no momento da compra, sabe que a rentabilidade desse título será definida pela variação da taxa Selic.

Em títulos pós-fixados ocorrem oscilações em função das variações da cotação do título no mercado financeiro e/ou do indexador (índice de referencia). 

Títulos de renda fixa podem ser distinguidos de títulos indexados (relacionados) à inflação, notas variável de juros e afins. 

Já existe um padrão a ser seguido, ou melhor, já existe uma “ideia geral” da rentabilidade a ser auferida no futuro. 

Exemplos de indexação Renda Fixa:

  • Atrelados ao câmbio, como as NTN-D - Notas do Tesouro Nacional - que são corrigidas pela variação da taxa cambial (Real x US_Dólar), 
  • Às taxas de juro SELIC como as LFT - Letras Financeiras do Tesouro
  • À índices de inflação, como as NTN-B, que rendem a variação acumulada do IPC-A (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo) 
  • Ou como as NTN-C, que rendem a variação acumulada do IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado).



Apesar de já saber, desde o momento da compra, o índice que determinará sua rentabilidade, o investidor só saberá quanto de fato ele ganhou na data de vencimento, após o cálculo da variação da taxa Selic, desde o dia da compra até o vencimento.

Você sabia que existe variação nas aplicações de Renda Fixa?

Fazer um investimento de renda fixa não significa que a rentabilidade não varie.

Há oscilações, às vezes mínima, quase imperceptíveis. Estas oscilações ocorrem em função das variações da cotação do título no mercado financeiro.

O prazo do título está ligado a esses dois tipos de risco: de crédito e de oscilação das taxas de juro - pois os riscos poderão aumentar quanto maior for o prazo dos títulos. Tanto existem que, algumas vezes, um título público pode apresentar rentabilidade negativa


Saiba:
  • Taxa de Juros pré-fixada: o valor do juros é combinando no momento de aquisição do investimento.
  • Taxa de Juros pós-fixada: quando a taxa de juros está em alta é favorecido esse mercado pois o investimento oscila de acordo o taxa de juros no resgate.
  • Indexador: são índices de reajuste que seu objetivo é evitar a desvalorização da moeda.


Exemplos de investimentos de Renda Fixa


  • Caderneta de poupança -  é a parcela da renda – de pessoas, empresas ou instituições superavitárias – que não é gasta no período em que é recebida, e, por consequência, é guardada para ser usada num momento futuro.
  • Títulos Públicos Federais - são ativos de renda fixa, ou seja, seu rendimento pode ser dimensionado no momento do investimento, ao contrário dos ativos de renda variável (como ações), cujo retorno não pode ser estimado no instante da aplicação.
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB) - emitidos em nome de uma pessoa determinada (em geral, Bancos) pelos bancos e vendidos ao público como forma de captação de recursos
  • Debêntures -  título de crédito representativo de empréstimo que uma companhia faz junto a terceiros e que assegura a seus detentores direitos contra a emissora, nas condições constantes da escritura de emissão. 

Por fim, concluo que:

A vantagem de aplicar em Renda Fixa

Em razão da previsibilidade e da segurança proporcionada pela renda fixa, os investimentos como os títulos públicos, a poupança (infelizmente a mais popular) e os CDBs, juntos formam o conjunto de investimentos mais populares no mercado de capitais.

Mesmo os investidores mais agressivos com coragem e disposição para correr riscos financeiros, devem usufruir dos ganhos com segurança proporcionados pela renda fixa

Numa boa estratégia de Alocação de Ativos, o bom investidor deve ter pelo menos uma pequena parte dos seus recursos nesse tipo de investimento.

Isto porque o risco do investimento, reside na possibilidade da instituição emissora quebrar ou não pagar os juros devidos. Mas não se preocupe tanto assim... Normalmente as instituições são empresas sérias (por exemplo: o governo no caso de títulos de renda fixa e grandes bancos quando se refere a poupança e aos CDBs).
Além disso o Fundo Garantidor de Crédito garante o pagamento por CPF ou CNPJ alguns valores aplicados em investimentos como: caderneta de poupança, CDBs e títulos públicos como Letras Hipotecárias e Letras de Cambio