8 motivos para você não ir bem com o seu dinheiro

Comentários
Se você está sempre nadando em dívidas que não pode pagar e, por consequência, sempre em desequilíbrio nas finanças pessoais.

Se você está vivendo de salário em salário e está em risco financeiro de falência.

Aqui estão as 8 razões pelas quais você não está indo bem com seu dinheiro independente do quanto ganha.



1. Você não tem um fundo de emergência.


Na vida você deve esperar o inesperado, como a perda súbita de um trabalho e a última coisa que você quer é ser pego de surpresa e forçado a depender de cartões de crédito, cheque especial ou um empréstimo  em bancos que poderão fazê-lo afundar ainda mais nas dificuldades financeiras.

Estabeleça um fundo de emergência de pelo menos 3 a 6 meses de despesas recorrentes. Caso algo aconteça, você não precisará recorrer a empréstimos.

E não demore; você deve começar a construir o seu fundo de emergência assim que você receber o seu primeiro salário.
Para pessoas mais avançadas eu recomendo que busquem ter a Seguração Financeira. Esta situação é atingida quando você tem guardado 12 (doze) vezes o valor de suas despesas recorrentes (as fixas e não-fixas de cada mês).

2. Você não sabe quanto dinheiro você tem em suas contas bancárias.


Para garantir que você nunca vai assinar um cheque com um valor a mais do que aquilo que você tem em conta, você deve sempre saber quanto dinheiro você tem em todas as suas contas.

Defina o seu limite de cheque especial em R$ 0,00. Faça dívidas no cartão de crédito sabendo exatamente o quanto tem para pagar integralmente a fatura.

Se você é o familiar responsável pelas finanças é preciso equilibrar o seu gasto regularmente e às vezes compulsivamente. Você também pode considerar o uso de programa ou software de gestão de dinheiro para ajudar a gerenciar suas finanças de forma mais segura (existem vários programas gratuitos para Smartphone).

3. Você não entende a diferença entre um desejo e uma necessidade.


Ser capaz de distinguir entre desejos e necessidades está diretamente ligado à sua capacidade de aceitar a responsabilidade pessoal por seu enriquecimento e prosperidade na vida.

Entenda que todos nós temos apenas quatro ou cinco necessidades primárias. Essas necessidades são alimentos/água, vestuário, abrigo, transporte (para a maioria de nós), e cuidados de saúde. Tudo o resto é um desejo de satisfação pessoal.

4. Você não sabe quanto dinheiro você gasta.


É muito simples: O que você poupar e investir é a diferença entre o quanto você ganha e quanto você gasta.

Mas é difícil de investir qualquer quantia se você não sabe o quanto você pode gasta e o quanto realmente "sobra" para investir. Então, estude suas despesas e determine exatamente quanto dinheiro você está gastando e para onde ele está indo.

A "auditoria" de suas despesas deve ser por escrito. Anote tudo o que você gasta com o seu dinheiro em pelo menos 3 meses e Projete o gastos pelo ano corrente.

O truque é ser o mais detalhado possível, use um caderninho para capturar até as menores compras e no fim do mês faça um relatório completo. Atribua categorias para as suas despesas, tais como: habitação, automóvel, mantimentos, utilidades e entretenimento.

5. Seus gostos excedem a sua capacidade de gastos.


Entenda que isso não é um problema, tanto como uma desculpa. Quando seus gostos caros começam afetando sua capacidade de guardar e investir, você está em apuros.

Faça uma avaliação se você realmente pode comprar aquele carro, viajar para aquele balneário na praia, comprar aquele produto no shopping.

6. Você não sabe dizer não.


Ser capaz de dizer que não é uma habilidade crucial no mundo das finanças pessoais. Aqueles que não podem sempre terá mais dificuldade para manter suas finanças pessoais em equilíbrio.

Domine a arte de dizer não. Aprenda a ser mais assertivo em sua vida e a escolher o que realmente vai lhe trazer bons resultados.

7. Você é um comprador impulsivo.


A compra por impulso é um mau hábito que pode ser melhor curado por um planejamento cuidadoso.

Dica extra: Ao comprar mantimentos, fazer uma lista de tudo que você precisa. Estabelecer e aderir a um orçamento familiar . E sempre sabe exatamente quanto você está pensando em gastar antes de sair pela porta. Em suma: Pense antes de comprar.

8. Você se preocupa demais com o que os outros pensam sobre você.


Pessoas que são altamente competitivas, ou se preocupam com o que os outros pensam elas, muitas vezes têm uma predileção para o consumo conspícuo, também conhecido como o desejo de manter as aparências.  Acaba comprando coisas que não precisa para agradar pessoas que não conhece com o dinheiro que não tem.

No final, ninguém se importa realmente com você. Além disso, as chances são provavelmente eles também estão sem dinheiro também.